Segurança perimetral no setor agro


imagem mostrando uma área rural com um trator

Tecnologias robustas estão cada vez mais sendo utilizadas pelo setor

O Agronegócio é um dos mais importantes segmentos do Brasil e é responsável por 9,81% do PIB brasileiro, o equivalente a R$ 223 bilhões (dado referente ao 1º semestre de 2021). Com o avanço da transformação digital e com a chegada de tecnologias inovadoras no país, o campo tem implantado soluções para aumentar a produtividade, trazer maior flexibilidade na operação, ampliar a segurança, entre outras necessidades.


Entre os maiores desafios do agro, está a área de proteção da instalação e seus equipamentos. Por se tratar de propriedades extensas e amplas, com áreas de vegetação densa e terrenos irregulares, torna-se um projeto desafiador e de alto custo, uma vez que requer muitos equipamentos para realizar a cobertura de toda a área.

Além disso, a variedade de clima em cada época do ano, como chuvas extremas e períodos de intensa seca e calor, e as mudanças bruscas de luminosidade – dia com luz intensa e noite em completa escuridão –, impõe ainda mais obstáculos na realização de um projeto de segurança.

“Os dispositivos de proteção perimetral ficam expostos a intempéries e problemas de toda natureza como chuva, ventania, neblina, queda de galhos de árvores, alagamento, sujeira, corrosão e vandalismo. Também necessita de infraestrutura para alimentação elétrica e de dados, para fazer todos os equipamentos funcionarem e transmitirem as informações”, explicou Hen Harel, CEO da Ôguen. “Em casos emergenciais, como a invasão de criminosos, a distância da propriedade em relação às cidades, significa um maior tempo de chegada da polícia, por isso uma detecção precoce é fundamental”, completou Hen.

As soluções israelenses de radares e minas eletrônicas, importadas para o Brasil pela Ôguen, representante exclusiva dos equipamentos no país, são ideais para a realização da segurança perimetral do setor agro.

Os Radares de Segurança Magos realizam a cobertura de áreas com até 600 mil m², sendo capaz de identificar pessoas, animais e veículos a centenas de metros de distância da propriedade.


Com os radares é possível rastrear até 100 alvos simultaneamente usando apenas uma câmera PTZ, reduzindo drasticamente a quantidade de infraestrutura, câmeras e equipamentos necessários.

Além disso, a solução é embarcada com inteligência artificial, o que permite a classificação automática de alvos, sendo possível distinguir entre pessoas de confiança e invasores em tempo real.


Já as Minas Terrestres Eletrônicas da SensoGuard funcionam como sensores sísmicos de última geração, capazes de detectar passos humanos, veículos, escavações e notificar com precisão o lugar da intrusão.


Ambas as soluções realizam um consumo baixíssimo de energia e dados, podendo ser alimentação solar e comunicação wireless; funcionam em qualquer condição de clima e luz, ou seja, mesmo com tempestade e na total escuridão o equipamento entregará uma alta performance; possui uma alta durabilidade e necessita de manutenção mínima.


Confira a solução funcionando na prática, em um projeto realizado em uma fazenda:


Quer conhecer mais sobre nossas soluções? Clique aqui.

7 visualizações0 comentário